• de quando
    as boas ideias
    devem ser
    continuadas

 

Sou suspeito para falar de Marcel Giró, o catalão que se transformou em um dos mais importantes fotógrafos da década de 1960 no Brasil; durante três anos tive a sorte de ser seu assistente. Foi meu primeiro emprego, e foi lá que tudo começou. Devo a ele, em grande parte – e a Francesc Petit, outro catalão também –, o encaminhamento de minha trajetória profissional. Quem escreve sobre Giró, porem, é Toni Ricart, seu sobrinho e guardião do trabalho do maestro.
É difícil, muito difícil pelas leis das probabilidades, alguém seguir os passos de seus pais, na mesma profissão, e obter o mesmo sucesso. Sonia Sieff é um desses raros casos; filha do mito Jeanloup Sieff, ela é autora do livro Les Françaises, em que decidiu retratar, à procura do nu perfeito, suas amigas. O resultado é elegante e original.
Tropecei outro dia, na mudança de minha biblioteca, com um livro publicado quase 30 anos atrás. É do jornalista e repórter de televisão americano David Brinkley. Seu título é Everyone Is Entitled to My Opinion. Uma coleção de ensaios, comentários e observações bem-humoradas sobre a frágil condição humana. Sem querer, ele antecipava o sentimento dos dias de hoje em que cada avatar de rede social se sente obrigado a opinar de tudo e sobre todos. Até mesmo do que não se tem ideia.
A fotografia, em si, sempre foi um testemunho do fotógrafo diante do que acontece em frente de suas lentes. Richard Avedon disse que “um retrato não deve ser uma gentileza, mas sim uma opinião”. É por isto que podemos dizer que esta é uma revista cheia de opiniões.

 

AGRADECIMENTOS
Alexandra Brochen. Mario Sergio Conti. Ivan Marsiglia. Fernando Paiva. Toni Ricart Giró. Rayana Faria, da editora BestSeller. Thais Mendes & Beatriz Alcântara, da Squad. Ariani Carneiro, da Capa MGT. Roberta Assad. Regis Panato, da Photouch. David Jensen, Patricia Veneziano e Sanny Mazza, do WBorn Studios. Sandra Raineri, da Raineri Equipamentos.

Capa. Fotografia de Sonia Sieff (pág.1)
O dedo de Constantino. Um dos pedaços do que restou do colosso do imperador romano Constantino, o Grande, exposto no pátio do Palazzo dei Conservatori do Museu Capitolini, em Roma (pág.2).
Passageiro. As imagens de Marcel Giró, o fotógrafo catalão, um dos pioneiros da fotografia moderna no Brasil, com participação decisiva no Cine Foto Clube Bandeirantes e na criação da escola paulista de fotografia. Toni Ricart Giró, seu sobrinho, escreve sobre ele (pág.4).
Uma cioba vermelha. Um peixe de água salgada e todas as suas cores (pág.14).
Hebe, a soberana da tela. O primeiro capítulo de Hebe: A Biografia, escrito por Artur Xexéo e publicado pela editora BestSeller (pág.16).
As francesas de Sonia Sieff. Um portfólio do livro Les Françaises (pág.20).
Malta. Durante a procura da única tela de Caravaggio assinada, Flávio Torres Corona e Neves lembra os dias passados na mais misteriosa de todas as ilhas do mar Mediterrâneo (pág.32).
Mood Squad. Thais Mendes criou uma agência de modelos que abraça todos os gêneros. Fotos de J.R.Duran. Cabelo e maquiagem de Mario Marques, da Capa MGT. Tratamento de imagem de Regis Panato da Photouch (pág.38).

J.R.Duran